quarta-feira, 15 de junho de 2011

AMADOS QUE AMAM A VIDA


Gostaria de contar-lhes a história da minha conversão ao Espírito da Era de Aquário. A Mãe. A Grande Deusa. “A Mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça”. Minha conversão a Deus como Mãe, o complemento de Deus que eu sempre conheci como Pai, ocorreu por intermédio da abençoada Nossa Senhora. É estranho que a nossa tradição judaico-cristã não nos tenha dado um senso do aspecto feminino de Deus. Quando descobri Nossa Senhora, ou melhor, quando ela me descobriu, me dei conta do grande abismo de solidão que eu e outros experimentamos sem a Mãe. Maria mostrou-me como todos nós ansiamos desesperadamente por conhecer nossa Mãe Cósmica e por reconhecer nossas almas como originárias desse Útero Cósmico _ e como preenchemos este vácuo com uma frenética perseguição ao culto do prazer, com muito barulho, correndo de um lado para o outro, tentando escapar da nossa solidão. A dor tem estado ali há tanto tempo que não a reconhecemos mais, nem a sua causa, nem a sua cura. Simplesmente, tornamo-nos cada vez mais auto-suficientes. Crescemos, não necessitamos mais de uma Mãe, mas continuamos procurando a sua proteção. A televisão, a violência, os comerciais estridentes, as novelas, as conversas intermináveis que não levam a lugar algum, o sexo em todas as suas configurações. Serão estas as nossas válvulas de escape para camuflar a falta da Mãe?

Sim, necessitamos da Mãe Divina. Ó, como precisamos dela. Necessitamos dela tanto quanto necessitamos de um Pai Divino, porque sabemos que é Ela quem nos ensina sobre Ele. Sem a Mãe, tememos nos aproximar do trono do Pai. A Mãe é uma instrutora. Ela nos assegura, nos níveis mais profundos da nossa psique, que nosso Pai e nossa Mãe são Um e que nossas almas foram criadas a partir dessa união do Fogo Sagrado, Alfa e Ômega, no Grande Sol Central. Ela nos revela esse Amor sob uma perspectiva cósmica. A união amorosa dos Amantes Cósmicos é pura Luz, luz cintilante que perpassa a trama e a urdidura de toda criação, selando nossas almas no Ovo Cósmico. Ela é a mais próxima e querida representação da Mãe Divina que conhecemos. É sua Mensageira. É a guardiã da nossa iluminação. Ela nos conhece melhor do que nós nos conhecemos. Conhece nossas fraquezas e preocupações. Ela nos ouve enquanto recontamos os nossos problemas. Ajuda-nos a mensurá-los em comparação com as montanhas e as estrelas. Mostra-nos a impermanência do tempo e do espaço e de tudo o que existe. Torna nossa vida mais bonita, completa e cheia de alegria _ aqui e agora. Nossa Senhora não nos abandonará, não nos deixará sós até que nossa jornada esteja estabelecida, que as linhas da nossa vitória sejam transparentes como o cristal e até que estejamos suficientemente fortalecidos, envoltos em seu manto, para enfrentar os desafios da vida – e vencer.

Aquário é a era da libertação da mulher. Esta é a hora em que a humanidade deve adquirir uma compreensão de Deus como Mãe. Aceitar Deus Mãe significa nutrir a vida de Deus na Terra, na matéria. Este é o nosso chamado como filhos e filhas de Deus. Quando nos conscientizamos do nosso próprio Eu como Mãe, zelaremos pela chama da vida – primeiro no altar do templo do nosso próprio ser, depois nos templos uns dos outros, para socorrer, ensinar, servir e ajudar outras pessoas que necessitam, que necessitam muito, de uma Mãe.

Não podemos avançar na senda espiritual a menos que nos reconciliemos com o nosso Eu Mãe, com Deus Mãe em nosso interior e com a Mãe Universal. A compreensão da Mãe é a liberação da beleza criativa feminina, da aspiração e da energia que habita dentro de nós e que é uma luz branca de pureza. Os hindus meditam e reverenciam a Mãe e a chamam de Deusa Kundalini. Eles a descrevem como uma luz branca, ou uma serpente enrolada. Trata-se de uma energia espiritual que se eleva a partir da base da nossa espinha, até o alto da cabeça. Nessa escalada, ela ativa níveis de consciência cósmica em cada chakra, os centros espirituais de energia, por onde passa.

A chave para liberar a energia de Kundalini – é a adoração à Mãe, a Deus como Mãe, esta porção de Si que é feminina e que Ele colocou em tudo o que existe. Os hindus a denominaram Shakti, o Grande Complemento. A Natureza (Prakriti) também é uma manifestação da maternidade de Deus, acalentando todas as criaturas através das extensões de si mesma nos seres dos elementos – o fogo, o ar, a água e a terra. O universo material inteiro é a Mãe – um útero de tempo, espaço e energia no qual permanecemos em gestação até que o nosso ciclo se complete e alcancemos a consciência cósmica.

Ao contrário do que se imagina, a senda da elevação da Kundalini também está presente na tradição ocidental. O Rosário é o seu mais perfeito instrumento, o método seguro dado por Nossa Senhora a vários santos para que essa energia espiritual se eleve sem forçar os chakras, e no momento exato em que estivermos preparados para esse ritual. Quando dizemos “Ave Maria” estamos afirmando “Salve, Raio da Mãe”. Estamos saudando o Princípio Feminino de Deus, a quem conhecemos e amamos na Mãe de Cristo, mas que também reside – adormecido ou não – em todo homem e mulher, como a Luz do nosso mais profundo ser.

Tornei-me uma estudiosa do Raio da Mãe e da sua energia. A devoção à Mãe é a compreensão de que, na Era de Aquário, quando elevamos esta luz por puro amor à Mãe estamos, na verdade, experimentando uma aceleração do nosso Eu Verdadeiro. Este livro é uma mensagem e um estímulo a todos os que tem vivido nessas décadas turbulentas marcadas pela procura da alma, a todos os que ainda tem coragem de buscá-la e conhecê-la. Por meio do Rosário Escritural para o Novo Milênio, Nossa Senhora nos ensina a senda do amor e da devoção à Trindade por intermédio do Sagrado Coração da Mãe. Basta fazê-lo diariamente, como Ela pediu. Tente. Funcionou comigo. Com fé, estou certa de que também funcionará com você.

Elizabeth C. Prophet

Livro: O Rosário Escritural para o Novo Milênio


Assim como Elizabeth C. Prophet, também ouvi o chamado de Mãe Maria, e em agosto de 2007 convidei algumas pessoas em minha casa para rezarmos uma Novena à Nossa Senhora. Lembrei-me da minha infância, quando Sua santa imagem percorria as casas do bairro onde eu morava, e os fiéis se uniam em torno do terço homenageando nossa santa Mãe. O tempo passou tão rápido, mas em minha memória essas lembranças se apresentam com tanta nitidez que parece ter acontecido ontem, e seguindo essas lembranças dei início a uma novena que se estende até hoje, e que tem sido meu pilar de fortaleza e coragem, com o amor se desenvolvendo em meu coração a cada dia, a cada Ave Maria, em prol de todos os filhos e filhas de Deus aqui na Terra. Essa devoção já libertou minha alma de tantas dores, consumiu lembranças tristes e dolorosas, curou feridas espirituais e físicas. Em Seu Santo Nome, invoco o Raio de Cura para libertar meus irmãos do sofrimento da carne e do espírito, envolver nosso planeta (útero cósmico) em Suas santas Mãos, rogando por misericórdia e compaixão por este ventre gigantesco, prestes a explodir nas dores de um parto cósmico para nos trazer à Luz do conhecimento e da verdade. Vivemos momentos decisivos de nossa história, da atual civilização, quando novamente nos perdemos pela perversão da luz branca do chakra da base como das outras vezes, e rogo para que o povo de Deus desperte da ilusão do mundo e volte rapidamente a sentir o desejo sincero de viver dentro das leis cósmicas de amor. E mais uma vez, convido-os a entoarem esse hino à Mãe Divina, rogando para que a Era de Aquário seja uma realidade para todos nós.



video video

Um comentário: