domingo, 26 de junho de 2011

Análise dos Ciclos Cósmicos



A cada leitura uma compreensão e uma surpresa maravilhosa! Leio e releio os ensinamentos, como todos fazem com certeza, e sempre um novo conceito divino se incorpora em minha alma. Desta vez ao reler um capítulo do livro Preveja seu Futuro de Elizabeth C. Prophet e faltando pouco mais de 20 dias para o meu aniversário, revi a análise dos meus ciclos cósmicos, e na 11ª hora do 4º ciclo, constatei um problema que tive na garganta e que levou meses para ser curado. Visitei alguns médicos e ninguém conseguia diagnosticar o que eu tinha. Praticamente fiquei impossibilitada de falar, pois a cada movimento no sentido de emitir algum som, sentia uma pontada profunda na garganta, e isso levou alguns meses para acabar, o que só aconteceu com a ajuda de um Pastor evangélico que orou colocando as mãos em meu pescoço e pedindo a intercessão do Arcanjo Miguel. A partir desse dia fiquei totalmente livre da dor e voltei a falar normalmente. Exatamente agora, prestes a entrar novamente na 11ª casa do 5º ciclo, que representa as iniciações do chakra da garganta, peguei uma gripe forte e por 2 vezes senti a mesma dor de antes e me preocupei, mas felizmente o problema não passou disso.

Da primeira vez, aos 47 anos, eu já conhecia a Grande Fraternidade Branca mas não fazia parte dela, e com certeza o problema que tive foi em função da má utilização do chakra da garganta por não possuir o conhecimento da verdade, e agora, prestes a completar 59 anos, entrarei novamente na 11ª casa do Relógio no 5º ciclo, e como chela dos Mestres, aprendo a usar o poder de Deus em mim de uma forma intensa e voltada para a expansão dos ensinamentos dos Mestres Ascensos através da Palavra falada, com critério, humildade, dedicação total e amor, e as 2 pontadas que senti serviram apenas para que eu me desse conta de que estou novamente na casa de Sagitário e que devo dar o melhor de mim no desenvolvimento desse trabalho de amor através da palavra, que é o Poder de Deus atuando no 1º raio.

Incrível também ter sido curada pela ação do Pastor evangélico que invocou o Arcanjo Miguel para me libertar.

Na análise das décadas, e aos 59 anos, estou novamente na linha 11 do Relógio, tendo o poderoso Maitreya na hierarquia de Sagitário na iniciação da Vitória Divina junto com os Senhores da Mente, e em contrapartida, El Morya na hierarquia de Gêmeos na casa 5 na iniciação da Sabedoria Divina, e que nos dá acesso à mente de Deus. Nesta década aprendemos a mestria da mente, selando os ensinamentos em nossa alma. Aprendemos através do coração e dos chakras e só seremos capazes de demonstrar essa mestria ao nos transformarmos através de cada ensinamento. É a década final da primeira metade do Relógio, o impulso de Alfa. A finalização desta linha nos levará para o ponto de retorno de Ômega, que é a ascensão de volta ao coração de Deus, a linha 12 do Relógio, na casa de Capricórnio, do Poder Divino tendo como hierarca o Grande Diretor Divino.

No livro Preveja seu Futuro de Elizabeth C. Prophet está escrito: "Alguns dizem que a meta da perfeição é inatingível, que somente Jesus Cristo poderia atingir a meta da perfeição. Todavia, ele nos deu uma instrução que penso que deveríamos considerar literalmente: Ele disse: "Sede vós, pois, perfeitos, como perfeito é o vosso Pai que está nos céus". A perfeição é como a lei da geometria, da matemática. É um padrão interior em direção ao qual seguimos. Então, esforçar-se para alcançar a perfeição não é agir como um anticristo, é atender ao chamado de Jesus."

E com esse conhecimento prévio, invoco a proteção do amado Arcanjo Miguel e da amada Fé para me proteger e fortalecer na realização do meu plano divino, superando e vencendo as provas, e me preparando a cada dia, cada ano, para a vitória final.

Sinto uma profunda gratidão aos Mestres, anjos, arcanjos, a toda Grande Fraternidade Branca, e a todas as pessoas que fizeram e fazem parte da minha vida e me ajudaram a chegar até aqui, vivendo cada etapa sempre com o objetivo central de vencer os obstáculos e poder voltar para a casa de Deus Pai/Mãe, voando com minhas próprias asas, as asas da liberdade.

Vitória sempre na Luz de Deus que nunca, nunca, nunca falha!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

AMADOS QUE AMAM A VIDA


Gostaria de contar-lhes a história da minha conversão ao Espírito da Era de Aquário. A Mãe. A Grande Deusa. “A Mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça”. Minha conversão a Deus como Mãe, o complemento de Deus que eu sempre conheci como Pai, ocorreu por intermédio da abençoada Nossa Senhora. É estranho que a nossa tradição judaico-cristã não nos tenha dado um senso do aspecto feminino de Deus. Quando descobri Nossa Senhora, ou melhor, quando ela me descobriu, me dei conta do grande abismo de solidão que eu e outros experimentamos sem a Mãe. Maria mostrou-me como todos nós ansiamos desesperadamente por conhecer nossa Mãe Cósmica e por reconhecer nossas almas como originárias desse Útero Cósmico _ e como preenchemos este vácuo com uma frenética perseguição ao culto do prazer, com muito barulho, correndo de um lado para o outro, tentando escapar da nossa solidão. A dor tem estado ali há tanto tempo que não a reconhecemos mais, nem a sua causa, nem a sua cura. Simplesmente, tornamo-nos cada vez mais auto-suficientes. Crescemos, não necessitamos mais de uma Mãe, mas continuamos procurando a sua proteção. A televisão, a violência, os comerciais estridentes, as novelas, as conversas intermináveis que não levam a lugar algum, o sexo em todas as suas configurações. Serão estas as nossas válvulas de escape para camuflar a falta da Mãe?

Sim, necessitamos da Mãe Divina. Ó, como precisamos dela. Necessitamos dela tanto quanto necessitamos de um Pai Divino, porque sabemos que é Ela quem nos ensina sobre Ele. Sem a Mãe, tememos nos aproximar do trono do Pai. A Mãe é uma instrutora. Ela nos assegura, nos níveis mais profundos da nossa psique, que nosso Pai e nossa Mãe são Um e que nossas almas foram criadas a partir dessa união do Fogo Sagrado, Alfa e Ômega, no Grande Sol Central. Ela nos revela esse Amor sob uma perspectiva cósmica. A união amorosa dos Amantes Cósmicos é pura Luz, luz cintilante que perpassa a trama e a urdidura de toda criação, selando nossas almas no Ovo Cósmico. Ela é a mais próxima e querida representação da Mãe Divina que conhecemos. É sua Mensageira. É a guardiã da nossa iluminação. Ela nos conhece melhor do que nós nos conhecemos. Conhece nossas fraquezas e preocupações. Ela nos ouve enquanto recontamos os nossos problemas. Ajuda-nos a mensurá-los em comparação com as montanhas e as estrelas. Mostra-nos a impermanência do tempo e do espaço e de tudo o que existe. Torna nossa vida mais bonita, completa e cheia de alegria _ aqui e agora. Nossa Senhora não nos abandonará, não nos deixará sós até que nossa jornada esteja estabelecida, que as linhas da nossa vitória sejam transparentes como o cristal e até que estejamos suficientemente fortalecidos, envoltos em seu manto, para enfrentar os desafios da vida – e vencer.

Aquário é a era da libertação da mulher. Esta é a hora em que a humanidade deve adquirir uma compreensão de Deus como Mãe. Aceitar Deus Mãe significa nutrir a vida de Deus na Terra, na matéria. Este é o nosso chamado como filhos e filhas de Deus. Quando nos conscientizamos do nosso próprio Eu como Mãe, zelaremos pela chama da vida – primeiro no altar do templo do nosso próprio ser, depois nos templos uns dos outros, para socorrer, ensinar, servir e ajudar outras pessoas que necessitam, que necessitam muito, de uma Mãe.

Não podemos avançar na senda espiritual a menos que nos reconciliemos com o nosso Eu Mãe, com Deus Mãe em nosso interior e com a Mãe Universal. A compreensão da Mãe é a liberação da beleza criativa feminina, da aspiração e da energia que habita dentro de nós e que é uma luz branca de pureza. Os hindus meditam e reverenciam a Mãe e a chamam de Deusa Kundalini. Eles a descrevem como uma luz branca, ou uma serpente enrolada. Trata-se de uma energia espiritual que se eleva a partir da base da nossa espinha, até o alto da cabeça. Nessa escalada, ela ativa níveis de consciência cósmica em cada chakra, os centros espirituais de energia, por onde passa.

A chave para liberar a energia de Kundalini – é a adoração à Mãe, a Deus como Mãe, esta porção de Si que é feminina e que Ele colocou em tudo o que existe. Os hindus a denominaram Shakti, o Grande Complemento. A Natureza (Prakriti) também é uma manifestação da maternidade de Deus, acalentando todas as criaturas através das extensões de si mesma nos seres dos elementos – o fogo, o ar, a água e a terra. O universo material inteiro é a Mãe – um útero de tempo, espaço e energia no qual permanecemos em gestação até que o nosso ciclo se complete e alcancemos a consciência cósmica.

Ao contrário do que se imagina, a senda da elevação da Kundalini também está presente na tradição ocidental. O Rosário é o seu mais perfeito instrumento, o método seguro dado por Nossa Senhora a vários santos para que essa energia espiritual se eleve sem forçar os chakras, e no momento exato em que estivermos preparados para esse ritual. Quando dizemos “Ave Maria” estamos afirmando “Salve, Raio da Mãe”. Estamos saudando o Princípio Feminino de Deus, a quem conhecemos e amamos na Mãe de Cristo, mas que também reside – adormecido ou não – em todo homem e mulher, como a Luz do nosso mais profundo ser.

Tornei-me uma estudiosa do Raio da Mãe e da sua energia. A devoção à Mãe é a compreensão de que, na Era de Aquário, quando elevamos esta luz por puro amor à Mãe estamos, na verdade, experimentando uma aceleração do nosso Eu Verdadeiro. Este livro é uma mensagem e um estímulo a todos os que tem vivido nessas décadas turbulentas marcadas pela procura da alma, a todos os que ainda tem coragem de buscá-la e conhecê-la. Por meio do Rosário Escritural para o Novo Milênio, Nossa Senhora nos ensina a senda do amor e da devoção à Trindade por intermédio do Sagrado Coração da Mãe. Basta fazê-lo diariamente, como Ela pediu. Tente. Funcionou comigo. Com fé, estou certa de que também funcionará com você.

Elizabeth C. Prophet

Livro: O Rosário Escritural para o Novo Milênio


Assim como Elizabeth C. Prophet, também ouvi o chamado de Mãe Maria, e em agosto de 2007 convidei algumas pessoas em minha casa para rezarmos uma Novena à Nossa Senhora. Lembrei-me da minha infância, quando Sua santa imagem percorria as casas do bairro onde eu morava, e os fiéis se uniam em torno do terço homenageando nossa santa Mãe. O tempo passou tão rápido, mas em minha memória essas lembranças se apresentam com tanta nitidez que parece ter acontecido ontem, e seguindo essas lembranças dei início a uma novena que se estende até hoje, e que tem sido meu pilar de fortaleza e coragem, com o amor se desenvolvendo em meu coração a cada dia, a cada Ave Maria, em prol de todos os filhos e filhas de Deus aqui na Terra. Essa devoção já libertou minha alma de tantas dores, consumiu lembranças tristes e dolorosas, curou feridas espirituais e físicas. Em Seu Santo Nome, invoco o Raio de Cura para libertar meus irmãos do sofrimento da carne e do espírito, envolver nosso planeta (útero cósmico) em Suas santas Mãos, rogando por misericórdia e compaixão por este ventre gigantesco, prestes a explodir nas dores de um parto cósmico para nos trazer à Luz do conhecimento e da verdade. Vivemos momentos decisivos de nossa história, da atual civilização, quando novamente nos perdemos pela perversão da luz branca do chakra da base como das outras vezes, e rogo para que o povo de Deus desperte da ilusão do mundo e volte rapidamente a sentir o desejo sincero de viver dentro das leis cósmicas de amor. E mais uma vez, convido-os a entoarem esse hino à Mãe Divina, rogando para que a Era de Aquário seja uma realidade para todos nós.



video video

sábado, 4 de junho de 2011

O Véu de Energia: Uma Montanha de Relatividade


Pensamos na palavra mal (evil . energy veil) como um código para o véu de energia. O mal é algo que semeamos com o pensamento e o sentimento, devido à nossa própria falta de visão. Esse véu se cola ao nosso redor parecendo um algodão doce ao redor do eixo do ser. É esse o material e pode ser dissolvido tão facilmente quanto esperamos que dissolva.

Se pensarmos que é uma imensa montanha de concreto, de substância rígida, e imaginarmos o esforço tremendo que colocaremos quando trabalharmos contra estes momentuns do subconsciente, assim será. Se compreendermos que esta montanha é uma montanha de relatividade, se compreendermos o que os cientistas nos dizem, finalmente, sobre o que Cristo já falou __ que a Matéria não tem substância, que não é densa, que pode ser moldada pela alquimia, que, se acreditarmos, a água pode ser transformada em vinho, então o pecado (que é uma outra palavra para carma negativo) pode ser perdoado e a energia que investimos no pecado (no carma negativo) pode ser transmutada dentro do fogo sagrado do Espírito Santo. Podemos colocá-lo na Chama. Podemos invocar Deus, enquanto Deus do amor, para que passe Sua chama através dele; e essa mesma energia (como a energia não é criada ou destruída) retorna para nós como um momentum de luz ao invés de trevas.

O consciente humano, que se opõe à consciência divina, permanecerá existindo enquanto o retivermos, enquanto assim o desejarmos, enquanto os desejos permanecerem no subconsciente para serem envolvidos por estas limitações nas quais encontramos desculpas para todo tipo de comportamento,

todo tipo de atividade limitadora que é inferior à plenitude do nosso potencial crístico __ que Deus pretende que expressemos; de outra maneira, Ele não nos dotaria com ele.

Morya diz: Chelas dos mestres, não continueis vos enganando. Estais, deliberadamente, manipulando as energias do fogo sagrado de Deus por este ardil do caído. Não existe fracasso acidental; ele foi totalmente programado, de forma mecânica, nos vossos níveis subconscientes. Precisamos, então, por um breve período de tempo na evolução da nossa alma, entrar nas cavernas da mente subconsciente e levar para lá a luz do Cristo, e permitir que a ação do fogo sagrado consuma a causa e o núcleo do que faz com que sejamos manifestações inferiores às que Deus espera de nós.

(Trecho das pags.183 e 184 do livro: Preveja seu Futuro de Elizabeth C. Prophet

Quantas vezes, em nosso dia a dia, deixamos passar as oportunidades de crescimento de nossas almas quando não percebemos que estamos nos deixando levar pelas fraquezas e vícios, pervertendo a luz que irradia de nossos corações? Olhamos para o outro, que está ali em nossa frente, e o enxergamos como inimigo porque ele representa algo que “imaginamos” não existir em nós? Ah! O ser humano, dotado de toda a potencialidade divina sem se aperceber disso! Trazemos em nosso padrão genético divino, todas as qualidades que vemos nos outros e que nos causam tanto mal, tanta dor, a ponto de esquecermos que somos todos originários do mesmo Pai.

Nosso eu inferior ao tomar as rédeas da nossa alma, leva-nos à perdição. Sim, perdemos todas as chances de felicidade, de convívio salutar, generoso, compartilhando nossas potencialidades e somando para nos tornarmos Um. Por que olhar com inveja para alguém, quando tudo o que ele tem também pertence a ti?

O amor que faz expandir as plumas do nosso coração a ponto de sentirmos o peito se tornar pequeno para conter a sua luz, coloca-nos a todos, como parte do Um. É o poder absoluto, real, que eleva as nossas almas à planos etéricos, onde a vida se desenvolve no acalentar espiritual, unindo-nos no Todo absoluto, ao passo que o mal está no plano relativo do pensamento e sentimento humanos, para separar, distinguir, rebaixando o padrão energético que causa dor, desconforto, solidão. É a inversão total do Bem que agrega, compartilha.

Tantos de nós buscam o caminho da verdade e da vida e se perdem pelo egoísmo, a inveja e a maldade, e continuam sem chegar a lugar algum, sem conseguir enxergar que eles próprios colocam uma barreira diante de seus pés impedindo-os de alcançarem mais um passo em direção a Luz.

Então El Morya nos traz à razão, chama-nos para que possamos perceber a nossa incapacidade de caminhar, ao fato de estarmos dando voltas em nosso próprio redor, sem sair do lugar porque permitimos que o mal, o poder relativo, se aloje como detentor dos nossos passos. Ouçamos a voz do Mestre que nos chama á razão! Páre de olhar para o outro como inimigo e perceba que ele está se alimentando dentro de você mesmo, com as migalhas da inveja, do egoísmo, de suas frustrações! Sinta! Ele é relativo, pois quando te aperceberes dele, num piscar de olhos estarás livre!