sábado, 24 de março de 2012

SÃO MIGUEL - INFALÍVEL PROTETOR.


Há poucas semanas vi o impressionante resultado de uma pesquisa, que dizia: 70% da população tem medo de assaltos, de bandidos... Fiquei alarmada, porque o medo atrai o objeto temido. É necessário que o estudante da luz observe ao seu redor, a comprovação desta lei.

Os filhos de Deus que realmente conhecem e aplicam a lei, nada têm a temer, pois a proteção mais segura que existe é a espiritual. É melhor que alarme, câmera de segurança, guarda costas, carro blindado, etc.

A proteção espiritual forma uma blindagem em torno dos corpos físico, mental, emocional e espiritual. Assim sendo, ela protege dos ódios de inimigos, da inveja, dos ataques das trevas, dos acidentes, dos falsos amigos, dos sequestros, dos assaltos, da maldade, seja ela de que tipo for.

Se não existisse medo na população, os bandidos não teriam força - energia para atacar!!! Esta é a triste realidade, quando vemos as pessoas boas e incautas fornecendo energia para serem transformadas em vítimas.

Você não acredita? Pois eu o desafio a testar esta lei.

Como fazer proteção espiritual? Primeiro é preciso entender a Lei: Em Daniel 12.1 está escrito: “Nesse tempo se levantou Miguel, o grande príncipe, o defensor dos filhos do teu povo, e, haverá tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até aquele tempo, mas, naquele tempo, será salvo o teu povo, todo aquele que for encontrado inscrito no Livro”. (O livro da Vida).

São Miguel é enviado por Deus para proteger os Filhos de Deus, nesse tempo de muita angústia que é exatamente agora! Está escrito “será salvo o teu povo”, o povo de Deus.

São Miguel apareceu a Josué, antes da batalha de Jericó, e revelou-se como capitão das hostes do Senhor – O defensor imparcial de todos os que abraçam a verdade e a justiça!

São Miguel é o comandante Supremo das hostes celestiais, os exércitos do Senhor. É ninguém menos que este poderoso ser cósmico, que Deus Pai colocou à nossa disposição para nos proteger, guiar, libertar...

Medite sobre as passagens bíblicas citadas acima, e leia na Bíblia tudo o que se refere a São Miguel, para imbuir sua consciência de conhecimento do poder divino que está a seus dispor. A proteção que o mundo material oferece é tão cara e complicada, que, quando ensinamos a simplicidade e a facilidade da proteção espiritual, alguns pensam: - Imagine que só isso irá mudar a minha vida! Não muda porque elas não invocam São Miguel. Porém, mesmo sem crer, se você praticar a espiritualidade acabará vendo que ela funciona mesmo!

Sempre que viajo de avião, entrego minha bagagem a São Miguel pedindo que a proteja e me entregue em perfeitas condições no destino final, citando a cidade. Se Ele falhasse comigo, eu não poderia transmitir estes ensinamentos aos buscadores. Ele nunca falhou! Somos incapazes de perceber a maior parte das bênçãos e proteção que Ele nos dá, e à nossa família.

Uma senhora fazia diariamente a oração abaixo pedindo à São Miguel que protegesse o filho dela. Certa noite, quando seu filho saía de uma casa noturna às 3 da manhã, houve uma briga e o amigo ao lado dele foi assassinado, mas ele saiu ileso. Temos ouvido incontáveis testemunhos da proteção de São Miguel, por aqueles que o chamam diariamente.

Eu invoco São Miguel todo dia e todas as horas; para as mais simples necessidades do cotidiano, para abrir caminhos, para a proteção dos meus entes queridos, para interferir nos problemas da nação e planeta, e até mesmo tragédias em climáticas.

Uma amiga meu falou: Maria Lúcia, você pensa que São Miguel está aí do teu lado esperando você dar as suas ordens todo o tempo? Respondi: Eu não penso, eu tenho certeza que Ele e todos os sete arcanjos com suas legiões de milhões e milhões de anjos estão à disposição de todos os filhos de Deus para guiar, abençoar, iluminar, proteger.

Porém eles necessitam do nosso chamado para interferir em nossas vidas, nossa cidade e em nosso planeta. O comando do mundo pertence aos filhos de Deus que aqui habitam no plano da matéria.

É preciso fazer o pedido específico: São Miguel proteja meu filho que está indo para a Escola tal, ou, que está viajando hoje desta cidade para o Rio de Janeiro na companhia tal de aviação ou de ônibus etc. Proteja meu trabalho, minha missão, minha casa e carro, a juventude da minha cidade etc.

Depois recite em voz alta três vezes a oração abaixo, enquanto visualiza uma luz azul em torno da situação que você pediu ou da pessoa.

SÃO MIGUEL - Oração ensinada pelo mensageiro Mark Prophet

São Miguel à frente,

São Miguel atrás,
São Miguel à direita,

São Miguel à esquerda,
São Miguel acima,

São Miguel abaixo,

São Miguel, São Miguel onde quer que eu vá!
EU SOU o seu Amor, protegendo aqui! (3x) Amém

Vitória Sempre na Luz!
Maria Lúcia Vieira.

sexta-feira, 23 de março de 2012

MENSAGEM AVASSALADORA SOBRE O FIM DO MUNDO


Por esses dias recebi um email com um vídeo sobre uma palestra proferida por alguém que não conheço e que tratava sobre o tema “fim do mundo”. Assisti ao vídeo sem nenhuma emoção, pois o assunto já não me afeta, e resolvi, num impulso qualquer, encaminhá-lo à alguns amigos. E assim foi.

Passadas algumas horas recebi o retorno de apenas uma pessoa me fazendo muitas perguntas sobre o tema, e então me questionei sobre qual teria sido a razão, talvez inconsciente, que me levou a “espalhar” aquele vídeo entre meus amigos. É claro que não me dei conta disso até viver as razões e compreendê-las, e é isso que quero comentar.

Costumo dizer: “quando eu era criança pequena lá em Barbacena”, parafraseando um humorista dos bons tempos, ouvia histórias sobre o “fim do mundo”, e apesar do medo não conseguia imaginar tal fato e o seu significado real. Aqueles que me conhecem sabem que sempre fui religiosa, começando como católica, espírita, e depois de buscas que pareciam intermináveis cheguei agora no caminho que ACREDITO ser o do meio, o que me levará até Deus, como espiritualista. Nessa trajetória encontrei de tudo um pouco, mas a questão das previsões de Nostradamus me abalava a ponto de não pensar que pudesse existir tal possibilidade. A 22 anos atrás, quando eu ainda buscava o caminho do meio, encontrei um grupo de espiritualistas que me “encantou”, mas passados alguns meses desse encanto a líder do grupo nos apresentou um vídeo mostrando o que seria as previsões assustadoras de Nostradamus. Minha alma não estava preparada ainda para absorver aquele impacto e tirar dele a essência que me libertaria, e eu, como todas as outras pessoas, retirei-me, dando por encerrado aquele grupo de orações. Precisei de algum tempo para me recuperar e ter a alegria e esperança de volta. Guardei alguns livros e retornei à minha busca, enquanto a vida se encarregava de me presentear com o carma acumulado e que se resgatado me libertaria. Durante esse processo doloroso , mais do que nunca precisava de apoio e do encontro com a luz para me amparar, fortalecer e proteger, e nessa busca desesperada reencontrei os livros que eu havia guardado tempos atrás, e ávida por luz comecei a lê-los na esperança de encontrar uma porta aberta, e eis que ali estava a porta que eu buscava. Era o Livro de Ouro de Saint Germain, entre outros, que ficara a minha espera para me dar as respostas que eu tanto buscava. Esse processo interrompido, por razões que só Deus conhece, aos poucos foi me conduzindo a uma compreensão que eu não havia tido antes e então começou a minha jornada em direção à compreensão das leis de Deus através dos ensinamentos dos Mestres Ascensos da Grande Fraternidade Branca, e aqui estou novamente no ponto de partida deste histórico. Saber que razão me levou a encaminhar o vídeo para algumas pessoas e receber vários questionamentos sobre o tema.

Não foi minha intenção assustar nenhum dos meus amigos, como tenho certeza que quem me enviou também o fez para partilhar uma informação, mas a razão talvez tenha sido para que através das perguntas que recebi eu mesma reconhecesse a mudança que a GFB realizou em minha vida, no meu ser, e é este o propósito desse esclarecimento, talvez longo demais, mas que procura demonstrar através da minha experiência, o fortalecimento da minha alma.

Que somos nós para saber com exatidão o que o Universo nos prepara? Que somos nós, incapazes de compreender o erro do nosso irmão e perdoá-lo, de compreender os desígnios divinos? Em nossa trajetória de reencarnações aqui na terra, fomos criando um lastro de sombras que pesam sobre o planeta porque não conseguimos perdoar nossos irmãos e nem a nós mesmos, e isso somado à toda população do planeta, concluo que o peso cármico sobre a Terra é imenso. E se hoje estamos aqui, vivendo mais esta oportunidade de resgate de nossa dignidade espiritual, precisamos confiar Naquele que nos criou e conduz, e nos colocarmos humildemente diante Dele e pedir que com seu amor e poder, Ele possa minimizar os efeitos da calamidade gerada pelos nossos atos insanos, ao mesmo tempo em que seus mensageiros celestes dotados do Seu poder , detenham as forças maléficas que buscam a destruição de Sua obra. E com a mesma humildade e confiança, vivermos a nossa vida trabalhando para a recuperação da pureza, da integridade de nossas almas, sempre com o pensamento e visão imaculada de Maria, a nossa mãe mais amada, vislumbrando um mundo cheio de luz e paz. Esse é o nosso dever como filhos de Deus Todo-Poderoso. Jesus viveu 40 dias no deserto, sendo testado pelas forças dos caídos e resistiu. Nós precisamos resistir, com muito mais força do que Ele, pois ele já era puro, e nós ainda não. Devemos pedir ao Pai que nos fortaleça a cada instante, invocando a armadura de luz azul do Arcanjo Miguel para que possamos resistir à tentação mais aterradora que é a visão de total destruição a que estamos sendo submetidos pelos seres das trevas.

Ao descrever minha trajetória espiritual de tanta fraqueza inicial, posso garantir, que apesar de sentir medo lá no fundo do meu ser, ele não me detém, não me paralisa mais. Meu coração está mais leve e resisto às tentações do meu eu inferior que outrora me desestabilizava em questão de segundos à simples menção de uma catástrofe. A Luz de Deus que habita em mim, que eu fui descobrindo aos poucos, me sustenta na fé de que Deus me ama e me guarda, e seja lá qual for o destino do mundo, minha alma está nas mãos de Dele.

Essa descoberta é a realidade do meu ser, e que me levou a encaminhar tal vídeo à vocês. Tudo na vida tem um propósito, e eu, que sou guiada pelo Cristo, herança do amado Mestre Jesus, sinto-me feliz em poder compartilhar mais esta experiência com todos vocês.

“Não à minha vontade, mas sim a Tua seja feita”.

terça-feira, 6 de março de 2012

"DEFESA DO ABORTO PÓS-NASCIMENTO"


DUPLA DE ESPECIALISTAS DEFENDE O DIREITO DE ASSASSINAR TAMBÉM OS RECÉM-NASCIDOS.

Os neonazistas da “bioética” já não se contentam em defender o aborto; agora também querem a legalização do infanticídio! Eu juro! E ainda atacam os seus críticos, acusando-os de “fanáticos”.

Vamos ver. Os acadêmicos Alberto Giublini e Francesca Minerva publicaram um artigo no, ATENÇÃO!, “Journal of Medical Ethics” intitulado “After-birth abortion: why should the baby live?“ - literalmente: “Aborto pós-nascimento: por que o bebê deveria viver?”

No texto, a dupla sustenta algo que, em parte, vejam bem!, faz sentido: não há grande diferença entre o recém-nascido e o feto. Alguém poderia afirmar: “Mas é o que também sustentamos, nós, que somos contrários à legalização do aborto”.

Calma! Minerva e Giublini acham que é lícito e moralmente correto matar tanto fetos como recém-nascidos. Acreditam que a decisão sobre se a criança deve ou não ser morta cabe aos pais e até, pasmem!, aos médicos.

Para esses dois grandes humanistas, NOTEM BEM!, AS MESMAS CIRCUNSTÂNCIAS QUE JUSTIFICAM O ABORTO, JUSTIFICAM O INFANTICÍDIO, cujo nome eles recusam — daí o “aborto pós-nascimento”. Para eles, “nem os fetos nem os recém-nascidos podem ser considerados pessoas no sentido de que têm um direito moral à vida”. Não abrem exceção: o “aborto pós-nacimento” deveria ser permitido em qualquer caso, citando explicitamente as crianças com deficiência.

Mas não têm preconceito: quando o “recém nascido tem potencial para uma vida saudável, mas põe em risco o bem-estar da família”, deve ser eliminado.

Num dos momentos mais abjetos do texto, a dupla lembra que uma pesquisa num grupo de países europeus indicou que só 64% dos casos de Síndrome de Down foram detectados nos exames pré-natais. Informam então que, naquele universo pesquisado, nasceram 1.700 bebês com Down, sem que os pais soubessem previamente. O sentido moral do que diz a dupla, é claro: soubesse antes, poderia ter feito o aborto; com essa nova leitura, estão a sugerir que essas crianças poderiam ser mortas logo ao nascer.

Não! Minerva e Giublini ainda não haviam chegado ao extremo. Vão chegar agora.

Por que não a adoção?

Esses dois monstros morais se dão conta de que o homem comum, que não é, como eles, especialista em “bioética”, faz-se uma pergunta óbvia: por que não, então, entregar a criança à adoção? Vocês têm estômago forte?. Traduzo trechos da resposta:

“PERGUNTA - UMA objeção possível ao nosso argumento é que o aborto pós-nascimento deveria ser praticado apenas em pessoas que não têm potencial para uma vida saudável. Conseqüentemente, as pessoas potencialmente saudáveis e felizes deveriam ser entregues à adoção se a família não puder sustentá-las. Por que havemos de matar um recém-nascido saudável quando entregá-lo à adoção não violaria o direito de ninguém e ainda faria a felicidade das pessoas envolvidas, os adotantes e o adotado?

RSPOSTA - Precisamos considerar os interesses da mãe, que pode sofrer angústia psicológica ao ter de dar seu filho para a adoção. Há graves notificações sobre as dificuldades das mães de elaborar suas perdas. Sim, é verdade: esse sentimento de dor e perda podem acompanhar a mulher tanto no caso do aborto, do aborto pós-nascimento e da adoção, mas isso NÃO SIGNIFICA que a última alternativa seja a menos traumática.”

A dupla cita trecho de um estudo sobre mães que entregam filhos para adoção: “A mãe que sofre pela morte da criança deve aceitar a irreversibilidade da perda, mas a mãe natural (que entrega filho para adoção) sonha que seu filho vai voltar. Isso torna difícil aceitar a realidade da perda porque não se sabe se ela é definitiva“.

É isso mesmo! Para a dupla, do ponto de vista da mulher, matar um filho recém-nascido é “psicologicamente mais seguro” do que entregá-lo à adoção. Minerva e Giublini acabaram com a máxima de Salomão. No lugar do rei, esses dois potenciais assassinos de bebês teriam mesmo dividido aquela criança ao meio.

Querem saber? Essa dupla de celerados põe a nu alguns dos argumentos centrais dos abortistas. Em muitos aspectos, eles têm mesmo razão: qual é a grande diferença entre um feto e um recém-nascido? Ao levar seu argumento ao extremo, deixam a nu aqueles que nunca quiseram definir, afinal de contas, o que era e o que não era vida. Estes dois não estão nem aí: reconhecem, sim, como vida, tanto o feto como o recém-nascido. Apenas dizem que não são ainda pessoas no sentido que chamam “moral”.

Notem que eles também suprematizam, se me permitem a palavra, o direito de a mulher decidir, a exemplo do que fazem alguns dos nossos progressistas, e levam ao extremo a idéia do “potencial de felicidade”, o que os faz defender, sem meios-tons, o assassinato de crianças deficientes — citando explicitamente os casos de Down.

O Supremo e os anencéfalos

O Supremo Tribunal Federal vai liberar, daqui a algum tempo, os abortos de anencéfalos. Como já afirmei aqui, abre-se uma vereda para a terra dos mortos, citando o poeta. Se essa má-formação vai justificar a intervenção, por que não outras? A dupla que escreveu o artigo não tem dúvida: moralmente falando, diz, não há diferença entre o anencéfalo e o recém-nascido saudável. São apenas pessoas potenciais. Afinal, para essa turma, quem ainda não tem história não tem direito à existência.

A reação à publicação do artigo foi explosiva. Os dois autores chegaram a ser ameaçados de morte, o que é, evidentemente, um absurdo, ainda que tenham tentado dar alcance científico, moral e filosófico ao infanticídio. No mínimo a gente é obrigado a considerar que os dois têm mais condições de se defender do que as crianças que eles defendem que sejam mortas. A resposta que dão à hipótese de adoção diz bem com quem estamos lidando.

Julian Savulescu é o editor da publicação. Também é diretor do The Oxford Centre for Neuroethics. Este rematado imbecil escreve um texto irado defendendo a publicação daquela estupidez e acusa de fundamentalistas e fanáticos aqueles que atacam os dois “especialistas em ética”. E ainda tem o topete de apontar a “desordem” do nosso tempo, que estaria marcado pela intolerância. Não me diga!!!

O que mais resta defender? Aqueles dois potenciais assassinos de crianças deveriam dizer por que, então, não devemos começar a produzir bebês para fazer, por exemplo, transplante de órgãos. Se admitem que são pessoas, mas ainda não moralmente relevantes, por que entregar aos bichos ou à incineração córneas, fígados, corações?

Tudo isso é profundamente asqueroso, mas não duvidem de que Minerva, Giublini e Savulescu fizeram um retrato pertinente de uma boa parcela dos abortistas. Se a vida humana é “só uma coisa” e se os homens são “humanos” apenas quando têm história e consciência, por que não matar os recém-nascidos e os incapazes?

Estes são os neonazistas das luzes. Mas não se esqueçam, hein? Reacionários somos nós, os que consideramos que a vida humana é inviolável em qualquer tempo.

Texto publicado na VEJA - 02/03/2012
Por Reinaldo Azevedo

------------------------------

Os noticiários tem mostrado que o governo federal de nosso país ainda tem a intenção de liberar o aborto no Brasil. Precisamos manter em nossas orações, pedidos de intercessão divina, para que as leis pró aborto sejam barradas em todas as instancias. Mesmo que você aprove o governo atual, precisa orar para que seus dirigentes tomem decisões pró vida!

Vitória Sempre na Luz!
Maria Lúcia Vieira

sexta-feira, 2 de março de 2012

11 PERGUNTAS FEITAS PARA O DIABO


QUEM O CRIOU?

Lúcifer : Fui criado pelo próprio Deus, bem antes da existência do homem. [Ezequiel 28:15]

COMO VOCÊ ERA QUANDO FOI CRIADO?

Lúcifer : Vim à existência já na forma adulta e, como Adão, não tive infância. Eu era um símbolo de perfeição, cheio de sabedoria e formosura e minhas vestes foram preparadas com pedras preciosas. [Ezequiel 28:12,13]

ONDE VOCÊ MORAVA?

Lúcifer : No Jardim do Éden e caminhava no brilho das pedras preciosas do monte Santo de Deus. [Ezequiel 28:13]

QUAL ERA SUA FUNÇÃO NO REINO DE DEUS?

Lúcifer : Como querubim da guarda, ungido e estabelecido por Deus, minha função era guardar a Glória de Deus e conduzir os louvores dos anjos. Um terço deles estava sob o meu comando. [Ezequiel 28:14; Apocalipse 12:4]

ALGUMA COISA FALTAVA A VOCÊ?

Lúcifer : (reflexivo, diminuiu o tom de voz) Não, nada. [Ezequiel 28:13]

O QUE ACONTECEU QUE O AFASTOU DA FUNÇÃO DE MAIOR HONRA QUE UM SER VIVO PODERIA TER?

Lúcifer : Isso não aconteceu de repente. Um dia eu me vi nas pedras (como espelho) e percebi que sobrepujava os outros anjos (talvez não a Miguel ou Gabriel) em beleza, força e inteligência. Comecei então a pensar como seria ser adorado como deus e passei a desejar isto no meu coração. Do desejo passei para o planejamento, estudando como firmar o meu trono acima das estrelas de Deus e ser semelhante a Ele. Num determinado dia tentei realizar meu desejo, mas acabei expulso do Santo Monte de Deus. [Isaías 14:13,14; Ezequiel 28: 15-17]

O QUE DETONOU FINALMENTE A SUA REBELIÃO?

Lúcifer : Quando percebi que Deus estava para criar alguém semelhante a Ele e, por consequência, superior a mim, não consegui aceitar o fato. Manifestei então os verdadeiros propósitos do meu coração. [Isaías 14:12-14]

O QUE ACONTECEU COM OS ANJOS QUE ESTAVAM SOB O SEU COMANDO?

Lúcifer : Eles me seguiram e também foram expulsos. Formamos juntos o império das trevas. [Apocalipse 12:3,4]

COMO VOCÊ ENCARA O HOMEM?

Lúcifer : (com raiva) Tenho ódio da raça humana e faço tudo para destruí-la, pois eu a invejo. Eu é que deveria ser semelhante a Deus. [1Pedro 5:8]

QUAIS SÃO SUAS ESTRATÉGIAS PARA DESTRUIR O HOMEM?

Lúcifer : Meu objetivo maior é afastá-los de Deus. Eu estimulo a praticar o mal e confundo suas idéias com um mar de filosofias, pensamentos e religiões cheias de mentiras, misturadas com algumas verdades. Envio meus mensageiros travestidos, para confundir aqueles que querem buscar a Deus. Torno a mentira parecida com a verdade, induzindo o homem ao engano e a ficar longe de Deus, achando que está perto. E tem mais. Faço com que a mensagem de Jesus pareça uma tolice anacrônica, tento estimular o orgulho, a soberba, o egoísmo, a inimizade e o ódio dos homens. Trabalho arduamente com o meu séquito para enfraquecer as igrejas, lançando divisões, desânimo, críticas aos líderes, adultério, mágoas, friezas espirituais, avareza e falta de compromisso (ri às escaras). Tento destruir a vida dos pastores, principalmente com o sexo, ingratidão, falta de tempo para Deus e orgulho. [1Pedro 5:8; Tiago 4:7; Gálatas 5:19-21; 1 coríntios 3:3; 2 Pedro 2:1; 2 Timóteo 3:1-8; Apocalipse 12:9]

E SOBRE O FUTURO?

Lúcifer : (com o semblante de ódio) Eu sei que não posso vencer a Deus e me resta pouco tempo para ir ao lago de fogo, minha prisão eterna. Eu e meus anjos trabalharemos com afinco para levarmos o maior número possível de pessoas conosco. [Ezequiel 28:19; Judas 6; Apocalipse 20:10,15]

"COMO DIZ O ESPÍRITO SANTO: HOJE, SE OUVIRDES A SUA VOZ, NÃO ENDUREÇAIS OS VOSSOS CORAÇÕES." HEBREUS 3:7,8

"NINGUÉM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE: DE DAR A SUA VIDA EM FAVOR DOS SEUS AMIGOS." JOÃO 15:13

Autor desconhecido

Diferença entre a alma e o Espírito


Deus é um Espírito e a alma é o potencial vivo de Deus. A exigência da alma em obter o livre-arbítrio e a sua separação de Deus resultou na descida do seu potencial para o estado inferior da carne. Semeada em desonra, a alma está destinada a ser elevada em honra até a plena capacidade desse estado divino que é o Espírito único de toda a Vida. A alma pode perder-se; o Espírito nunca pode morrer...

Assim, a alma permanece um potencial caído que precisa ser impregnado com a Realidade do Espírito, purificado através da oração e da súplica e devolvido à glória de onde desceu e à unidade do Todo. Esta nova junção da alma e do Espírito é o casamento alquímico que determina o destino do eu e o torna um só com a verdade imortal. Quando este ritual é realizado, o Eu Superior é entronizado como o Senhor da Vida; o potencial de Deus, realizado no homem, é o Tudo-em-todos.

Texto extraído do livro: Cabala: O Caminho da Sabedoria

De Elizabeth Clare Prophet

quinta-feira, 1 de março de 2012

Respondendo a uma pergunta.


Recebi a seguinte pergunta da minha querida amiga Débora Betânia De Toni:

“Querida, gostaria que explicasse esta passagem bíblica, pois sei que não diz só o que lemos. Beijão”.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7“Pedi e vos será dado! Procurai e achareis! Batei e a porta vos será aberta! 8Pois todo aquele que pede recebe; quem procura encontra; e a quem bate a porta será aberta.
9Quem de vós dá ao filho uma pedra, quando ele pede um pão? 10Ou lhe dá uma cobra, quando ele pede um peixe? 11Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará coisas boas aos que lhe pedirem! 12Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a Lei e os Profetas”.

Palavra da Salvação.

Resposta.

"Pedi e vos será dado" - Jesus, como hierarca da Era de Peixes veio nos ensinar a fazer milagres, então Ele disse que deveríamos pedir ao Pai tudo que necessitávamos. Ora, posso dizer que peço, mas nem sempre alcanço! Por que? Ele também disse que deveríamos seguir o caminho para chegar ao Pai, e esse caminho é o Cristo. "Tudo o que pedirdes em meu nome..." Com a queda do homem pelo pecado, fomos perdendo a proximidade com nosso Pai Celestial, e Jesus veio nos ensinar que para chegar até Ele precisamos falar em nome daquele que está em nós como o Mediador entre a terra e o céu. Assim, "Pedi e vos será dado", "Procurai e achareis", "Batei e a porta vos será aberta". A porta, o caminho, é o Cristo que vive em nosso coração, e que nos foi compartilhado por Jesus quando ele venceu o pecado, a doença e a morte."

“Quem de vós dá ao filho uma pedra quando ele pede um pão?" Por desconhecermos as leis reais de Deus, julgamos que Ele nos dá pedra quando pedimos pão, mas na verdade devemos pedir o que nos falta e, humildemente diante Dele, dizer: Não à minha vontade, mas sim a Tua seja feita! Porque nos julgamos donos da nossa verdade, queremos exatamente aquilo que pedimos, mas Deus em sua infinita Sabedoria e obedecendo Ele mesmo suas próprias Leis, nos dá aquilo de que NECESSITAMOS para o nosso crescimento e aprendizado. Entre essas leis, a de Causa e Efeito (carma) pesa sobre sua decisão, porque se plantamos ervas daninhas não podemos colher flores. Então, se nós, em nossa visão e conhecimentos humanos tão precários somos hábeis em dar o melhor aos nossos, que dirá o nosso Pai Celestial que nos ama e enxerga através da visão imaculada? Vemos nossas crianças cada vez mais livres e soltas pelo mundo, sem nenhuma regra, disciplina ou limites a lhes conferir a direção correta e nos perguntamos: por que? Porque damos demais sem pesar a real necessidade de cada um, achando que assim estamos fazendo o melhor, quando na verdade estamos criando seres como folhas ao vento; sem rumo.


"Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também à eles. Nisto consiste a lei dos Profetas". Estamos sempre esperando que os outros nos vejam com uma aura de santidade, mas nossos atos demonstram que somos humanos; então se quero que alguém esteja comigo, preciso primeiro estar com eles através do desenvolvimento do amor puro em meu coração; é necessário que eu caminhe pela estrada reta (as leis de Deus) e seguir as setas (ensinamentos) que me conduzem ao fim do caminho (da dor); preciso olhar meu semelhante como a mim mesmo, pois estamos todos aqui para aprendermos a ser santos. Jesus nos deu o exemplo do amor, da entrega com confiança, nos deixou os ensinamentos (que precisam ser compreendidos). Sua missão foi dar-nos o exemplo do que devemos seguir, e que infelizmente nos foi tirado quando o colocaram como ÚNICO filho de Deus. Tiraram as nossas chances de libertação quando nos impediram de ser como Ele. Então, seguir a Jesus não é ser desta ou daquela religião, mas sim quando imitamos verdadeiramente seus exemplos e gradativamente vamos nos "despindo do velho para nos revestirmos do novo".

Espero ter respondido sua pergunta.